Escolha uma Página

gestão de facilidadesGestão de facilidades e sistemas de informação.

A Gestão de Facilidades (do inglês “Facilities Management”), é definida como: “constitui um campo interdisciplinar que se ocupa da coordenação de espaços, infraestruturas, pessoas e organizações, frequentemente associado a funções relacionadas com a gestão da prestação de serviços gerais a instalações, tais como edifícios de escritórios, estádios, escolas, centros de congressos, centros comerciais, hospitais, hotéis, etc..” (ver na Wikipedia).

Ocorre que com esta definição ampla fica evidente que o volume de serviços desta área é extremamente alto. Simplesmente, de todas as outras área surgem demandas.

Neste contexto, um sistema de informação de acesso comum a todos os interessados é mais do que bem-vindo. São evitadas as trocas de vários e-mails, ligações telefônicas e reuniões. A organização como um todo se beneficia pelo maior foco de todos em suas atividades-fim.

O acesso ao sistema utilizando dispositivos móveis (smartphones e tablets) suportando os principais fabricantes e marcas do mercado é praticamente uma obrigação. Imagine a facilidade de realizar um chamado de manutenção de qualquer local dentro da empresa e até fora da mesma. Da mesma forma, os técnicos de manutenção também devem usar estes dispositivos para atualizarem em tempo real as informações sobre o chamado que está sendo atendido além de receber novas demandas.

Outra aspecto importante que deve ser considerado, é que a execução dos serviços é realizada por equipes internas e externas, e nos dois casos, um único sistema de informação sob controle da empresa de ser usado por todos. Isto evita a dispersão das informações com as suas conhecidas e danosas consequências.

Todo gestor desta área, tem agora uma oportunidade de inovar usando um sistema de informação na internet, justamente pela possibilidade de compartilhamento seguro das informações sobre as operações. isto vai elevar o seu trabalho para um novo patamar.

Logicamente, é preciso que o referido sistema seja de fácil uso e contenha as funcionalidades essenciais (sem “rebuscamentos”) para que seja implantado rapidamente (em dias) além de ter um custo auto-financiado pela própria produtividade que proverá para a empresa. Qualquer alternativa complexa e sofisticada esta fadada ao fracasso pois temos uma grande heterogeneidade de usuários.